Três maiores agências dos EUA desclassificaram o país este mês

Moody´s baixou a nota da dívida espanhola em dois níveis, para A1

A Moody's justifica a decisão com a manutenção da situação de vulnerabilidade do país
Foto
A Moody's justifica a decisão com a manutenção da situação de vulnerabilidade do país Foto: Mike Segar/Reuters

A agência de avaliação de risco de crédito Moody´s baixou a nota da Espanha em dois níveis, de Aa2 para A1, e manteve-a em revisão com vista a uma eventual nova baixa futura.

A Moody´s justifica esta decisão com a manutenção da situação de vulnerabilidade do país às tensões nos mercados e a riscos específicos, à degradação das perspectivas de crescimento do produto (já moderadas antes do início do actual ciclo negativo no Ocidente) e às maiores dificuldades que isso acarretará para o país atingir os objectivos de equilíbrio das contas públicas a que se propõe.

Esta baixa da nota da dívida (rating) soberana da Espanha, anunciada ontem à noite, é o desfecho do processo de revisão iniciado no final de Julho.

Na nota onde explica a sua decisão, a agência explica que a vulnerabilidade do país à agitação nos mercados não beneficiou de qualquer decisão credível em relação à actual crise de dívidas soberanas na zona euro, e que mesmo quando isso acontecer “levará algum tempo até que seja totalmente restaurada a confiança na coesão política da zona euro e nas suas perspectivas de crescimento”.

Entretanto o país continuará “vulnerável aos futuras tensões nos mercados”, devido às “grandes necessidades de financiamento do Estado e ao elevado endividamento externo da banca e do sector empresarial”.

França também pode ser arrastada

A Moody’s tem também a dívida soberana da Bélgica, actualmente com nota Aa1, em revisão com vista a uma futura descida e na segunda-feira advertiu a França de que dentro de três meses poderá colocar a sua nota triplo-A (a classificação máxima, atribuída à dívida considerada mais segura) em revisão com vista a uma possível descida – o que suscitou uma reacção do ministro das Finanças francês, dizendo que o país fará tudo para manter a sua actual AAA.

A decisão anunciada ontem pela Moody’s significa que as três principais agências de notação de risco de dívida do Ocidente, todas dos EUA, desclassificaram a dívida espanhola este mês e mantêm a perspectiva de uma nova descida.

Na semana passada a agência Standard & Poor’s tinha já descido a nota da dívida espanhola, de AA para AA-, e manteve sob revisão com vista uma futura nova descida, com argumentos semelhantes aos invocados hoje pela Moody’s.

E há menos de duas semanas foi a Fitch quem baixou a nota da Espanha, também de AA+ para AA-, e a da Itália em um nível, de AA- para A+.