Primeiro semestre

Venda das instalações no Lumiar permite subida de lucros à RTP

Receitas de publicidade caíram 3,9 milhões de euros até Junho
Foto
Receitas de publicidade caíram 3,9 milhões de euros até Junho Pedro Cunha

Com a alienação dos terrenos no Lumiar o grupo arrecadou 15,4 milhões de euros, que contribuíram para um lucro de 24 milhões de euros no primeiro semestre.

Em comunicado hoje divulgado, a RTP indica também que os rendimentos e ganhos do semestre cresceram 7,5 milhões de euros face aos primeiros seis meses de 2010 (mais 4,8 milhões de euros), incluindo a mais-valia do Lumiar e os fundos atribuídos pelo Estado, que se mantiveram nos 117,7 milhões de euros.

O Governo anunciou recentemente que pretende privatizar pelo menos um dos canais do Estado e está também a rever o conceito de serviço público, prevendo-se a apresentação das conclusões para Setembro. O resultado líquido do semestre cresceu 6,6 por cento.

Quanto às receitas de publicidade, no primeiro semestre caíram 3,9 milhões, indica também o grupo liderado por Guilherme Costa, que integra os canais da RTP e da RDP.

Os gastos e perdas do grupo (que inclui os canais da RTP e da RDP) diminuíram 14,5 milhões, para um total de 131,3 milhões de euros. As maiores descidas a registaram-se na programação (custos de grelha, desceram 13,4 por cento) e nos gastos com pessoal (menos oito por cento), que são também as rubricas com maior peso nos custos operacionais.

Quanto ao pessoal, em causa está o reflexo das medidas impostas pelo anterior Governo ao sector empresarial do Estado, que obrigou à redução dos salários com valores brutos superiores a 1500 euros.

Rating penaliza resultado financeiro

Em contrapartida, o resultado financeiro da empresa foi negativo neste período, em 9,5 milhões de euros, quando no primeiro semestre de 2010 tinha chegado aos 12,3 milhões de euros.

Questionada pelo PÚBLICO, uma fonte oficial da RTP atribuiu esta pioria ao efeito da descida do rating da República sobre as taxas de juro praticadas. “Enquanto que em 2010 o resultado financeiro foi positivo devido aos encargos com juros (entre outras coisas), este ano, já no 1º semestre esses juros já aumentaram bastante, o que prejudicou o resultado financeiro”, referiu.

Por outro lado, a descida do rating pela parte das agências de notação financeira obrigou também a antecipar o reembolso ao banco Depfa, conforme estava previsto no contrato de empréstimo. Este ano, o grupo tem de pagar já 208 milhões de euros, face aos 47,5 milhões de euros inicialmente previstos.

Já o passivo bancário reduziu-se para 717 milhões de euros (menos 33 milhões de euros), indica o comunicado da RTP.

Ainda no que respeita ao balanço, de acordo com o comunicado hoje divulgado, os capitais próprios da RTP mantiveram-se negativos. No entanto, agora com um valor abaixo dos 500 milhões de euros, registando uma melhoria de 57 milhões.

Notícia substituída às 19h43
Sugerir correcção