Fotogaleria
Imagens de Che para ninguém se esquecer de CubaRicardo Castelo/N Factos
Fotogaleria
Ricardo Castelo/N Factos

Havana Club Prestige: De Cuba para o Porto, com surpresas

Tem rosto cubano, mas acaba sempre rendido ao "house"

Voltemos então a essa noite, ainda incipiente e portanto vazia de gente neste troço da Rua da Alegria, mesmo em frente ao restaurante Portucale e a dois passos da Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo.

A entrada, descobrimo-la à custa da gentileza de estranhos e passado o portão parece que estamos noutro mundo, de ruínas: estamos dentro do edifício descarnado, sob as estrelas, a mirar uma fachada lateral, também meio arruinada, onde a única cor é a do símbolo Havana Club, letras brancas sobre fundo vermelho.

Das ruínas à passarela

Há colunas que já não seguram nada, traves de madeira sem tecto, janelas sem vidro, pórticos sem portas; e há saibro cuidadosamente espalhado, porções de relva com bancos (traves de madeira sobre pedras), canas plantadas junto às paredes - tudo cuidadosamente iluminado com focos e holofotes que dão cor fantasmagórica ao que até chega a parecer uma velha missão espanhola (mas admitimos a influência do tema).

Passamos a porta e continuamos entre "ruínas", mas aqui há cobertura transparente acima delas e sentimo-nos dentro de um projecto arqueológico, a caminhar por um "deck" de madeira como passarela, a atravessar mais gravilha e árvores. Curta a viagem.

Desde 25 de Março

Nova porta e a recepção do Havana Club Prestige não deixa esquecer-lhe o nome: de repente, as paredes cobrem-se de fotografias com imagens icónicas da ilha - músicos, carros, igrejas coloniais, o Malécon de noite, bicicletas, postais de Che Guevara - em cores saturadas entre molduras douradas e ornamentadas, ar velho e gasto como velhas relíquias de família.

Os móveis, de madeira pesada e ferro grosso, têm a mesma aura e quase nos imaginamos numa ante-sala colonial - com um sofá de cabedal vermelho.

Está dado o mote para tudo o que vamos ver em seguida - "o espaço lembra Cuba, as ruínas", diz André Pereira. A atmosfera sabe um pouco à Cuba colonial que chegou até ao futuro cristalizada, as referências visuais são os ícones que Cubahoje produz. O espaço é enorme e não é tudo que que o Havana Club Prestige, aberto a 25 de Março, tem para oferecer.

 Ler artigo completo no PÚBLICO.