Torne-se perito

PS-Madeira: Jardim é “o novo Oliveira e Costa de Portugal”

Maximiano Martins diz que o Governo Regional obrigou “os madeirenses a terem de entregar 50 por cento do subsídio de Natal"
Foto
Maximiano Martins diz que o Governo Regional obrigou “os madeirenses a terem de entregar 50 por cento do subsídio de Natal" Foto: Carlos Lopes/arquivo

"Portugal tem mais um Oliveira e Costa. Está na Madeira e chama-se Alberto João Jardim”, afirma Maximiano Martins, cabeça-de-lista do PS às próximas eleições regionais.

“Corado de vergonha pela situação a que chegou a minha terra ao vê-la colocada ao mesmo nível do BPN, um dos maiores crimes públicos ocorridos em Portugal”, Maximiano Martins diz que Jardim “tem de prestar contas por ter prejudicado todos os 250 mil madeirenses ao colocar as contas da Região ao nível dos crime do BPN”.

O candidato socialista responsabiliza o governante por ter obrigado “os madeirenses a terem de entregar 50 por cento do subsídio de Natal e nem terem margem de manobra para reclamar porque a culpa, diz o ministro das finanças e a troika, é da governação jardinista”.

Preocupado com a derrapagem financeira da região, o candidato socialista alerta que o défice no orçamento da RAM, no primeiro trimestre, já ultrapassa os 20 por cento (montante da derrapagem de 277 milhões de euros, detectada pela troika) e, com a manutenção do regabofe, podemos chegar ao fim do ano com valores superiores aos 30 por cento, ou mais".

Segundo o antigo gestor do Programa Operacional de Economia e ex-deputado à Assembleia da Republica, este número será um "recorde de despesa e desperdício para alimentar interesses estranhos aos problemas" da região.

Na opinião de Maximiano Martins, o governo de Jardim, “suportado pelo PSD-M, perdeu, a partir de hoje, toda a capacidade para ser um interlocutor válido nos interesses dos madeirenses nas negociações e ajustamentos necessários quer no plano nacional, quer europeu, para a defesa da Madeira".

E, a concluir, aconselha "os dirigentes nacionais do PSD para colocarem a mão na consciência e criarem as condições para afastarem do poder regional estas pessoas que estou certo envergonham o quadro de actuação e comportamento de seriedade do partido nacional".

Sugerir correcção