Estratégia comercial

Bordallo Pinheiro lança Zé Povinho que faz “manguito” à Moody’s

Criação de Bordallo Pinheiro adapta-se aos tempos modernos
Foto
Criação de Bordallo Pinheiro adapta-se aos tempos modernos Filipe Arruda

A empresa Faianças Bordallo Pinheiro vai esta tarde lançar uma nova estatueta do Zé Povinho, com uma mensagem especial: o famoso boneco aparece a fazer um “manguito” à Moody’s, a agência de notação financeira que baixou o rating da dívida portuguesa para o nível de lixo.

“O Zé Povinho não ficou alheio às ondas de choque provocadas por uma das notícias de que mais se tem falado em Portugal, e decidiu mostrar todo o seu descontentamento enviando um ‘manguito’ à agência de notação financeira que recentemente baixou o rating da dívida portuguesa para lixo”, lê-se no comunicado da empresa.

A utilização da personagem Zé Povinho, criação de Rafael Bordallo Pinheiro que se tornou um “elemento simbólico dos sacrifícios e injustiças impostos ao povo português”, serve, segundo a empresa, para “retribuir o pouco simpático ‘cumprimento’ que a agência de notação financeira deu a Portugal”.

Ao gesto pode juntar-se a voz dos portugueses descontentes. É que a estatueta “TOMA, Moody’s” será acompanhada de um postal endereçado à Moody’s, “onde cada um poderá escrever a sua opinião e, posteriormente, enviar para a sede da agência de rating”. “O objectivo é que o povo português se faça ouvir e que deixe bem claro a sua posição”, acrescenta o comunicado da empresa.

A estratégia comercial pode, segundo a fábrica de Caldas da Rainha, ser aproveitada pelos outros países europeus que têm estado debaixo do olho das agências de notação financeira: “Esta peça, que traduz um sentimento generalizado em muito países europeus, tem sido alvo de interesse por parte de inúmeras pessoas da Grécia, Irlanda e Itália. Dado o evoluir da situação, espera-se que outros países venham a aderir à iniciativa pois existe um interesse crescente por simbologias de protesto com história, como esta”.

O novo símbolo da contestação nacional, que já levou inclusive a um pequeno ataque pirata ao site da Moody’s na semana passada, começará a ser comercializado a partir da próxima sexta-feira, dia 22 de Julho, nas lojas da Vista Alegre Atlantis (que, tal como a Bordallo Pinheiro, pertence ao grupo Visabeira) em duas versões: a mais pequena custará 33 euros e a maior 60 euros. No entanto, a peça pode, já a partir de hoje, ser vista na loja da Vista Alegre Atlantis do Chiado, em Lisboa.

No dia cinco deste mês, a Moody’s baixou em quatro níveis o rating de Portugal de Baa1 para Ba2, colocando a dívida do país na categoria de “lixo” (junk).