Numa propriedade em Guadalmellato, Córdova

Espanha: primeiros sete linces reintroduzidos na natureza já tiveram crias e estão bem

Os sete linces foram libertados no final de 2009 em cercados de aclimatação
Foto
Os sete linces foram libertados no final de 2009 em cercados de aclimatação DR

Passados sete anos desde o início da reprodução em cativeiro do lince-ibérico em Espanha, as autoridades de Andaluzia confirmam que os primeiros linces devolvidos à natureza, em Guadalmellato no final de 2009, já tiveram três crias e estão a adaptar-se bem.

Os sete linces - três casais e uma fêmea não reprodutora - foram libertados inicialmente em cercados de aclimatação com quatro hectares cada, numa propriedade em Guadalmellato entre Dezembro e Janeiro. Todos “estão a evoluir favoravelmente”, informou a Junta de Andaluzia em comunicado, dando conta do “êxito” desta iniciativa pioneira a nível mundial para devolver a espécie à região, no âmbito do projecto Life Natureza 2006-2011.

Até agora “não há nenhum registo de baixas entre os exemplares libertados naquela zona”. Os investigadores estavam à espera de uma perda até aos 50 por cento dos indivíduos durante os primeiros meses. “A decisão de instalar, primeiro, os linces em cercados de pré-adaptação parece ter contribuído em grande medida para o êxito obtido”, acrescentam.

Talvez a melhor prova do sucesso da reintrodução seja o facto de os três casais terem tido êxito nesta época de reprodução. A Junta de Andaluzia confirma o nascimento de três crias – do casal Caberú (macho proveniente da população da Serra Morena) e Charqueña, de quatro anos (proveniente da zona envolvente ao rio Yeguas) –, num dos cercados de aclimatação, e que as outras duas fêmeas, a Eclipse e Diana, conseguiram engravidar. Os técnicos ainda não sabem se estas já deram à luz.

Além disso, já foram confirmados os primeiros contactos entre os animais de Guadalmellato e os linces do Parque Natural de la Sierra de Andújar, onde se localiza o mais importante núcleo de lince-ibérico do mundo, a algumas dezenas de quilómetros de distância. Mais concretamente, a Mata – fêmea adulta libertada em Guadalmellato, vinda de Doñana – contactou com Casandra, outra fêmea da população de Andújar.

Em Portugal, o esforço de reprodução em cativeiro começou com a chegada da fêmea Azahar, de cinco anos, ao Centro Nacional de Reprodução em Cativeiro para o Lince-Ibérico, em Silves, a 26 de Outubro do ano passado. Até ao final do ano chegaram outros 15 linces, no âmbito de um protocolo de cedência de animais assinado com Espanha. Ainda não há data para o início da reintrodução em cercados de aclimatação.