Relatório sobre violência em instituições católicas

Arcebispo de Dublin pede às ordens religiosas que apoiem as vítimas de abusos sexuais

John Kelly, uma das vítimas, no dia da divulgação do relatório
Foto
John Kelly, uma das vítimas, no dia da divulgação do relatório Cathal McNaughton/Reuters

O arcebispo de Dublin, Diarmuid Martin, apelou às ordens religiosas para fazerem mais pelas pessoas que foram violadas ou agredidas nas instituições para crianças da Igreja Católica na Irlanda. Segundo um relatório divulgado na semana passada por uma comissão independente, milhares de crianças sofreram violações e maus tratos em orfanatos ou escolas católicas na Irlanda desde 1936 até aos últimos anos.

As declarações de Martin, citadas pela Reuters, representam também uma pressão para que as ordens paguem mais indemnizações.

De acordo com o relatório da Comissão de Inquérito sobre o Abuso de Crianças, que tem cerca de 2500 páginas e foi preparado ao longo dos últimos nove anos, os abusos sexuais e a violência associada a um regime severo e disciplina opressiva foram endémicos em diversas instituições católicas irlandesas geridas por 18 ordens religiosas, mas verificaram-se sobretudo nas que pertenciam aos Irmãos Cristãos ou às Irmãs da Misericórdia.

As ordens religiosas recusaram renegociar o acordo de 2002 com o Governo irlandês que estabelece uma quantia máxima para as indemnizações das ordens religiosas às vítimas: 127 milhões de euros. No entanto, o total das indemnizações deverá chegar aos mil milhões de euros o que significa que será o Estado a pagar boa parte das indemnizações.

“O facto de não terem sido finalizados os mecanismos para concretizar a vossa parte do acordo é impressionante”, escreveu Martin num artigo de opinião no Irish Times. “Aconteça o que acontecer em relação à renegociação deste acordo, as coisas simplesmente não podem continuar como estão”, adiantou. “Há muitas formas de ajuda financeira substancial para apoiar sobreviventes e as suas famílias que podem ser aplicadas, talvez de uma forma criativa que possa redimir o nosso próprio carisma de educadores dos pobres”.

O arcebispo de Dublin voltou ainda a alertar, tal como fizera após a divulgação do relatório, que até ao final do ano será divulgado um outro documento, relativo à diocese Dublin, que deverá também incluir informações chocantes sobre abusos sexuais e violência em instituições da Igreja Católica.