Avançou secretário de Estado das Obras Públicas e Comunicações

TAP comprou Varig Log e VEM por 25 por cento das avaliações

A TAP passará a controlar 95 por cento das acções da VarigLog (transporte de cargas) e 90 por cento das acções da Varig Engenharia e Manutenção (VEM)
Foto
A TAP passará a controlar 95 por cento das acções da VarigLog (transporte de cargas) e 90 por cento das acções da Varig Engenharia e Manutenção (VEM) Daniel Rocha/PÚBLICO (arquivo)

O secretário de Estado das Obras Públicas e Comunicações, Paulo Campos, afirmou hoje que a TAP pagou pela Varig Log e VEM um quarto do valor mínimo das avaliações feitas às duas empresas que comprou à Varig.

De acordo com Paulo Campos, que falava na Comissão das Obras Públicas, as avaliações independentes de auditores internacionais feitos à VEM apontavam para um valor entre 116 milhões de dólares e 375 milhões de dólares.

Já a Varig Log foi avaliada entre 117 milhões de dólares e 532 milhões de dólares, referiu na Comissão, à qual o secretário de Estado compareceu a pedido do PCP, para explicar o negócio.

Segundo foi anunciado este mês, a TAP vai adquirir o controlo das duas subsidiárias da Varig por 62 milhões de dólares (cerca de 53 milhões de euros), depois de analisadas seis propostas de aquisição.

O processo de venda das duas subsidiárias só estará, no entanto, concluído no dia 19 de Dezembro.

Entretanto, caso haja uma proposta superior ao valor já pago pela Aero-LB, e a TAP decida não fazer uma contraproposta, a empresa portuguesa receberá 10,6 milhões de euros (12,4 milhões de dólares).

Esse é o valor do prémio equivalente a 20 por cento do capital inicialmente investido pelos portugueses na VEM e VarigLog.

Do total oferecido pela companhia aérea portuguesa, um terço será pago pela TAP e dois terços financiados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Económico e Social (BNDES).

A parceira da TAP no negócio de entrada da companhia aérea portuguesa na brasileira Varig é empresa Geocapital, constituída em Macau pelos empresários Stanley Ho e Ferro Ribeiro.

A TAP passará a controlar 95 por cento das acções da VarigLog (transporte de cargas) e 90 por cento das acções da Varig Engenharia e Manutenção (VEM).

Os 62 milhões de dólares recebidos pela venda das duas subsidiárias serão depositados numa conta bancária especial para pagamento das empresas de leasing dos Estados Unidos.

As empresas norte-americanas ameaçam arrestar de 20 a 40 aviões da companhia brasileira, caso não recebam o pagamento das dívidas da Varig.

No dia 22 de Junho, o Tribunal do Rio de Janeiro aceitou o pedido de "recuperação judicial" feito pela Varig para obter um prazo de 180 dias para negociar o pagamento das dívidas.

A Varig enfrenta actualmente a mais grave crise financeira de sua história, com dívidas totais que ascendem a cerca de seis mil milhões de reais (cerca de 2,2 mil milhões de euros).

Do total das dívidas, 64 por cento respeitam a compromissos com empresas estatais brasileiras, nomeadamente a Infraero (controlo de aeroportos), BR Distribuidora (combustíveis) e o Banco do Brasil.

A Varig deve ainda 1,8 mil milhões de reais (cerca de 666,7 milhões de euros) ao fundo de pensões dos funcionários da empresa, o Aerus.