Uma semana depois do nascimento de Eva

Clonaid diz que segundo clone nascerá nos próximos dias na Europa

A comunidade científica reagiu com cepticismo ao anúncio do nascimento do primeiro clone humano
Foto
A comunidade científica reagiu com cepticismo ao anúncio do nascimento do primeiro clone humano EPA

A directora da Clonaid, Brigitte Boisselier, que na semana passada anunciou o nascimento do primeiro bebé clonado, revelou hoje que nascerá nos próximos dias na Europa uma segunda criança gerada segundo o mesmo método.

Em entrevista à televisão France 2 sobre a possibilidade de um perito independente realizar testes para confirmar a veracidade do anúncio feito a semana passada pela Clonaid — empresa de biotecnologia ligada à seita dos Raelianos —, Boisselier adiantou que "talvez a segunda criança esteja mais acessível já que se encontra na Europa e o país em que vai nascer é menos delicado".

Questionada sobre a data em que a criança vai nascer, a cientista limitou-se a dizer que tal deve acontecer "nos próximos dias, talvez ainda esta semana".

O anúncio feito na passada sexta-feira do nascimento do primeiro clone humano — criado a partir do ADN de uma norte-americana de 31 anos — gerou grande cepticismo entre a comunidade científica internacional, tendo a agência de segurança alimentar e farmacêutica norte-americana (FDA, na sigla em inglês) anunciado a abertura de um inquérito para confirmar a veracidade das afirmações da Clonaid.

Boisselier afirmou que um "perito independente", cuja identidade não quis revelar, foi escolhido para efectuar testes à criança nascida a semana passada, identificada como Eva. A presidente da Clonaid não quis, porém, adiantar quando serão efectuados os testes.

"As nossas instalações na Coreia do Sul foram invadidas, sem sucesso, pela polícia, a FDA foi a alguns dos nossos escritórios em Las Vegas, foi apresentada uma queixa na Florida, temo que a criança possa ser retirada à mãe. Isto tudo somado cria grande preocupação para os pais que acabam de regressar a casa e querem apenas viver em paz com os seus filhos", explicou Boisselier.

"Os pais disseram-me que queriam mais 48 horas para decidir se vão ou não fazer os testes", explicou. "Temos muitos advogados a trabalhar neste assunto para saber quais os riscos do bebé poderá ser retirado aos país se um perito independente for obrigado a revelar as informações a que teve acesso", acrescentou.

Sem querer adiantar pormenores sobre o estado de saúde da criança, a responsável adiantou que "o bebé está vivo e os que se lhe vão seguir também terão boa saúde", afirmou Boisselier, em resposta aos muitos cientistas que tem afirmado que, caso se comprove que Eva é um clone, estará sujeita a doenças genéticas e degenerativas, à semelhança do que se verifica em clones animais, como a ovelha Dolly.

A empresa de clonagem Clonaid, com sede em Las Vegas, no estado norte-americano do Nevada, foi fundada pelo Raelianos, uma seita instalada no Canadá, que acredita que a espécie humana foi criada há 25 mil anos por cientistas extraterrestres e considera a clonagem como o meio para atingir a eternidade.