Os orçamentos dos partidos já foram divulgados pelo Tribunal Constitucional (esta quarta-feira são conhecidos os das coligações). Pelos números é possível ver quais serão as principais apostas das forças políticas.

  • Os bons sentimentos, mais ou menos partilhados, têm o seu lugar próprio, que não é o da decisão para o interesse colectivo. A “política do amor”, a “piedade política”, no limite, é sempre uma fraude política.

  • Em causa está o facto de não ser possível concluir que as listagens dos candidatos tenham, efectivamente, sido exibidas aos cidadãos aquando da recolha de assinaturas.

  • Os orçamentos dos partidos já foram divulgados pelo Tribunal Constitucional (esta quarta-feira são conhecidos os das coligações). Pelos números é possível ver quais serão as principais apostas das forças políticas. A CDU, por ser aliança, ainda fica de fora destas contas.

  • Em 2005 arderam 340 mil hectares. O primeiro-ministro tinha prometido que as primeiras férias seriam no Quénia com os filhos e não voltou. António Costa mandou em tudo pela primeira vez.

  • Talvez seja apenas a reação perante um diabo que era esperado e que afinal não veio.

  • Partido fundado por Rui Tavares passou a ter a sigla com que nasceu: L. Mas este caminho tem vários capítulos.

  • As novas regras constam de uma portaria do ministro das Finanças, Mário Centeno, publicada em Diário da República, que regulamenta um diploma aprovado em Março pelo Parlamento, por unanimidade,