Democracia, de Alexandre Andrade: um processo alegórico em curso

Um romance de engenhoso fabrico. Um complexo mosaico narrativo, simultaneamente alegórico e naturalista, com o pano de fundo do Portugal entre o PREC e os anos de 1990.

Foto
Democracia: Alexandre Andrade foge ao linear retrato de época DR
Ouça este artigo
00:00
06:33

Alexandre Andrade avançou para a matéria que se propôs tratar com a clara consciência da dificuldade da sua tarefa. Porque esta implicaria sempre enfrentar um conjunto heteróclito de factos e acontecimentos, recriações da História e da recordação – colectiva ou individual –, quase impossíveis de converter em substância ficcional. Assim, o autor optou por segmentar em múltiplas facetas a vastidão de um panorama praticamente ingerível – o período entre o PREC e a década de 1990.

Os leitores são a força e a vida do jornal

O contributo do PÚBLICO para a vida democrática e cívica do país reside na força da relação que estabelece com os seus leitores.Para continuar a ler este artigo assine o PÚBLICO.Ligue - nos através do 808 200 095 ou envie-nos um email para assinaturas.online@publico.pt.
Sugerir correcção
Comentar