Ímpar

Este é o guarda-roupa de luxo que Taylor Swift traz a Lisboa

Ao longo do espectáculo de mais de três horas, a artista muda de roupa 16 vezes e os figurinos variam quase todas as noites.

Taylor Swift veste um esvoaçante vestido assinado por Alberta Ferretti Kevin Mazur/Getty Images
Fotogaleria
Taylor Swift veste um esvoaçante vestido assinado por Alberta Ferretti Kevin Mazur/Getty Images

A The Eras Tour de Taylor Swift é também um festim da moda e a celebração está quase a chegar a Lisboa. Apesar não haver um valor estimado para o guarda-roupa da artista na digressão, sabe-se que, ao longo do espectáculo de três horas com um repertório de 44 canções, Swift muda de roupa 16 vezes.

É fácil prever que o custo das peças ultrapasse as dezenas de milhares de euros, já estão incluídos figurinos de marcas como Alberta Ferreti, Nicole+Felicia, Oscar de la Renta, Roberto Cavalli, Versace, Vivienne Westwood ou Zuhair Murad. Alguns dos modelos foram desenvolvidas em várias cores, como é o caso do já famoso macacão de lantejoulas com que a artista abre o espectáculo, ao interpretar êxitos do álbum Lover, ou um novo conjunto de saia e top de brilhos da Cavalli. 

Para os concertos europeus, que se estrearam a 9 de Maio, em Paris, Taylor Swift trouxe novos visuais, incluindo duas criações feitas à medida pela Vivienne Weswood para a artista usar enquanto canta os temas do novo álbum, The Tortured Poets Department. Para interpretar canções como But daddy I love himWho’s afraid of little old me? ou Down bad, Swift usa um vestido em tafetá reciclado com uma volumosa saia onde está estampada a letra I love you, it’s ruining my life (amo-te, mas está a arruinar-me a vida, em tradução livre), parte da canção Fortnight.

O fenómeno na moda tem também inspirado os fãs, conhecidos por swifties, que se vestem a preceito para o espectáculo. No Verão passado, durante a digressão nos EUA, os vídeos de fãs a tentarem mimetizar os coordenados da cantora tornaram-se virais. E alguns até se dedicaram a tarefas de costura como coser lantejoulas nos macacões de licra. 

Além das roupas, há também swifties a prepararem, com meses de antecedência, várias pulseiras de amizade (friendship bracelets, em inglês), feitas com missangas e frases, para usarem no concerto e trocarem com outros fãs. As pulseiras, feitas em casa e depois oferecidas à melhor amiga, foram populares nos anos 1990 e início dos anos 2000.

O recuperar da tradição faz alusão à canção You’re on your own, kid do álbum Midnights que diz: “So, make the friendship bracelets, take the moment and taste it” (“Por isso, façam as pulseiras da amizade, aproveitem o momento e saboreiem-no”, em português). Não terá sido a cantora a incentivar o fenómeno que se tornou global, mas é certo que neste fim-de-semana em Lisboa também não vão faltar pulseiras da amizade.

Este é um dos visuais que Taylor Swift usa no início do concerto de três horas. Trata-se de um blazer Atelier Versace combinado com umas botas personalizadas pela Christian Louboutin, responsável pelo calçado do espectáculo
Este é um dos visuais que Taylor Swift usa no início do concerto de três horas. Trata-se de um blazer Atelier Versace combinado com umas botas personalizadas pela Christian Louboutin, responsável pelo calçado do espectáculo Kevin Mazur/Getty Images
O macacão que Taylor Swift usa durante as canções do álbum Lover também é uma criação da Versace, repleto em cristais e lantejoulas rosa e laranja
O macacão que Taylor Swift usa durante as canções do álbum Lover também é uma criação da Versace, repleto em cristais e lantejoulas rosa e laranja Kevin Mazur/Getty Images
Este é outro dos novos visuais que a artista estreou na digressão europeia. Trata-se de um conjunto de saia e top feito pela Roberto Cavalli. Além deste cojunto azul e amarelo, há outro igual em tons de rosa
Este é outro dos novos visuais que a artista estreou na digressão europeia. Trata-se de um conjunto de saia e top feito pela Roberto Cavalli. Além deste cojunto azul e amarelo, há outro igual em tons de rosa Michael Campanella/Getty Images