O eclipse solar viu-se nos Açores — e passou perto, muito perto, do continente

Foi mesmo à tangente, mas o eclipse solar que embrenhou parte da América numa escuridão total na tarde de segunda-feira também chegou a Portugal. Algumas regiões dos Açores e da Madeira chegaram a ver a Lua a tapar parcialmente o Sol. A paisagem repete-se no país já no próximo ano.

Os Açores foram a única região de Portugal onde o eclipse do Sol pode ser visto parcialmente, apesar das condições metereológicas desfavoráveis. Imagem captada em Biscoitos, Praia da Vitória, Ilha Terceira, Açores, a 8 de Abril de 2024 António Araújo
Fotogaleria
Os Açores foram a única região de Portugal onde o eclipse do Sol pode ser visto parcialmente, apesar das condições metereológicas desfavoráveis. Imagem captada em Biscoitos, Praia da Vitória, Ilha Terceira, Açores, a 8 de Abril de 2024 António Araújo

Estava nublado, o Sol já se estava a pôr e a passagem da Lua entre ele e a Terra estava mesmo quase a terminar. Mas, num daqueles golpes de sorte que só a ciência pode explicar, o eclipse solar que colocou milhões de americanos, mexicanos e canadianos a ver a noite chegar a meio do dia também foi observado em Portugal, especialmente em algumas ilhas dos Açores e da Madeira.

Em Ponta Delgada, entre as 19h05 e as 20h51, o Sol chegou a estar coberto em quase 62% pela Lua — e o eclipse parcial foi mesmo fotografado na região açoriana, sobretudo na Ilha de Santa Maria e na Terceira. No Funchal, o fenómeno foi mais discreto — e as condições meteorológicas não ajudaram à tarefa —, mas mais de 17% do Sol esteve coberto pela Lua.

Mas há mais: Portugal Continental também chegou a estar sob o eclipse solar parcial. Era quase impossível observá-lo a olho nu, sobretudo num dia nublado como o que se registou durante o dia na passada segunda-feira, mas o fenómeno chegou a acontecer já ao fim do dia em alguns pontos dos distritos de Aveiro, Braga, Coimbra, Leiria, Lisboa, Porto, Viana do Castelo e Vila Real.

Não, não andas desatento: o eclipse foi tão discreto, e coincidiu tão de perto com o momento do pôr-do-sol, que era impossível dar por ele. Em Leiria, por exemplo, só 0,17% do Sol esteve coberto pelo satélite natural da Terra. No distrito de Lisboa, a obscuridade foi de apenas 1,25% em Cascais — mas, no centro lisboeta, o eclipse já nem sequer existiu. No Porto, só 0,41% do Sol esteve tapado.

Foi à tangente, é certo, mas não será preciso esperar muito para que um novo eclipse solar passe com mais pompa e circunstância por Portugal. Marca no calendário o dia 29 de Março do próximo ano e poderás observar um eclipse parcial que tapará cerca de 30% do Sol no continente e Madeira; e quase 50% nos Açores. No ano seguinte, a 12 de Agosto de 2026, Bragança estará no estreito corredor de um eclipse total do Sol — que, no resto do país, será parcial, mas com a Lua a tapar bem mais do que 90% da estrela mais próxima da Terra.

Viste o eclipse solar parcial de segunda-feira? Envia-nos a tua fotografia do eclipse por e-mail para publicop3@gmail.com ou publica-a no Instagram com a etiqueta #p3top.

Na Ilha de Santa Maria, Marco captou esta imagem do eclipse solar