Anda tudo muito nervoso...

O objectivo é provocar ou fúria ou arregimentação, para trivialidades apresentadas como escândalos que alimentam os exércitos radicalizados que são o público destas coisas.

Ouça este artigo
00:00
04:42

A frase do título devia ser: anda tudo muito nervoso com distracções e pouco nervoso com o que é realmente importante. É um resultado conjugado da indústria de distracções, da indústria da superficialidade e da indústria do engraçadismo. As fábricas destas indústrias estão sediadas nas redes sociais e os patrões destas indústrias são agências e consultores de marketing, ou seja propaganda, agências de comunicação profissionais, lóbis, empresas, partidos e, nalguns casos e para certas matérias, serviços secretos de vários países. Desta cloaca das redes sociais passam para a superfície na comunicação social, da que vive das emoções para ter audiências à que vive do jornalismo de vingança e que tem uma agenda política.

Os leitores são a força e a vida do jornal

O contributo do PÚBLICO para a vida democrática e cívica do país reside na força da relação que estabelece com os seus leitores.Para continuar a ler este artigo assine o PÚBLICO.Ligue - nos através do 808 200 095 ou envie-nos um email para assinaturas.online@publico.pt.