A morte de um “herói” que parou ataque terrorista abriu um debate em Israel

Yuval Doron Castleman matou dois atacantes do Hamas. E foi morto por soldados israelitas mesmo depois de largar a arma, ajoelhar-se e gritar em hebraico “sou judeu, sou israelita”.

Foto
Soldados israelitas em Jerusalém Ammar Awad/REUTERS
Ouça este artigo
00:00
03:52

Há uma semana, Yuval Doron Castleman, prestes a fazer 38 anos, parou quando viu dois homens a disparar contra uma paragem de autocarro em Jerusalém. Antigo polícia e com licença de porte de arma, Castleman disparou e matou os atacantes, que tinham antes morto três pessoas na paragem, num ataque reivindicado pelo Hamas.

Os leitores são a força e a vida do jornal

O contributo do PÚBLICO para a vida democrática e cívica do país reside na força da relação que estabelece com os seus leitores.Para continuar a ler este artigo assine o PÚBLICO.Ligue - nos através do 808 200 095 ou envie-nos um email para assinaturas.online@publico.pt.
Sugerir correcção
Ler 27 comentários