Marcelo Rebelo de Sousa evoca Mário Soares, que se fosse vivo faria 99 anos

Iniciam-se as comemorações oficiais do seu centenário, às quais a presidência da República se associa. Recordar Soares “é celebrar uma vida plena de compromisso com a liberdade”, diz Marcelo.

Foto
Marcelo e Soares, a propósito de uma homenagem ao segundo no 40º aniversario do 1º Governo Constitucional Enric Vives Rubio
Ouça este artigo
00:00
02:21

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, evoca esta quinta-feira Mário Soares, no dia em que completaria 99 anos, considerando que é preciso honrar a "a vida e o legado incomparáveis" do antigo Presidente da República.

Esta quinta-feira ao fim do dia, o Presidente da República e o primeiro-ministro, António Costa, vão participar na sessão de apresentação de uma edição revista e ampliada do livro Portugal Amordaçado — Depoimento sobre os anos do fascismo, de Mário Soares, na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa.

Numa mensagem publicada esta quinta-feira de manhã no site oficial da Presidência da República, Marcelo Rebelo de Sousa assinala o 99.º aniversário do nascimento de Mário Soares.

"No dia do seu nonagésimo nono aniversário de nascimento, recordar o Presidente Mário Soares é celebrar uma vida plena de compromisso com a liberdade, a democracia e a justiça social. É evocar, com saudade, o seu inconformismo, resistência e coragem, ultrapassando privações e clausuras, descrenças e desilusões, lutando sempre por um Portugal mais livre, democrático e solidário", escreve.

Marcelo Rebelo de Sousa refere que esta quinta-feira "também se iniciam as comemorações oficiais do seu centenário, às quais o Presidente da República se associa".

Para o chefe de Estado, recordar Mário Soares "é perpetuar os seus valores humanistas, a sua vocação universalista, o seu espírito gregário e mobilizador, a força das suas convicções, o seu europeísmo democrático, a sua ambição inquebrantável pela construção de um Portugal socialmente mais coeso, politicamente mais plural, economicamente mais justo, culturalmente mais diverso, geracionalmente mais solidário, geopoliticamente mais activo".

"Numa altura da história em que as democracias enfrentam desafios tão complexos, são esses os valores que devemos preservar e pelos quais vale a pena continuarmos a lutar, honrando também assim a vida e o legado incomparáveis de Mário Soares", acrescenta o Presidente da República.

Mário Soares nasceu em 7 de Dezembro de 1924, em Lisboa, e morreu em 7 de Janeiro de 2017, aos 92 anos, em Lisboa.

Advogado, combateu a ditadura do Estado Novo, foi fundador e primeiro líder do PS. Regressado do exílio em França, após o 25 de Abril de 1974, foi ministro dos Negócios Estrangeiros, primeiro-ministro e Presidente da República durante dois mandatos, entre 1986 e 1996.

Sugerir correcção
Comentar