Bolsonaro enfrenta julgamento que pode torná-lo inelegível por oito anos

Ex-Presidente do Brasil está acusado de abuso de poder e uso indevido dos meios de comunicação durante a campanha eleitoral das últimas eleições presidenciais.

Foto
Bolsonaro pode vir a ser impedido de concorrer a eleições durante oito anos EPA/Andre Borges

O ex-Presidente brasileiro Jair Bolsonaro enfrenta esta quinta-feira o seu primeiro julgamento no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que o pode tornar inelegível para os próximos oitos anos, num caso em que é acusado de abuso de poder.

Na acção argumenta-se que Jair Bolsonaro cometeu abuso de poder político e uso indevido dos meios de comunicação durante uma reunião que o então chefe de Estado brasileiro organizou, em plena campanha para as eleições presidenciais, com embaixadores estrangeiros no Palácio da Alvorada, a residência oficial do Presidente em Brasília, no dia 18 de Julho de 2022.

Nessa reunião, Jair Bolsonaro lançou vários ataques infundados sobre a fiabilidade do processo eleitoral e, mais precisamente das urnas electrónicas, utilizadas desde 1996 e validadas por vários organismos internacionais, e as mesmas que o elegeram para vários mandatos enquanto deputado federal e para Presidente.

O julgamento começa às 9h locais (13h em Lisboa) e sete juízes vão decidir pela manutenção dos direitos políticos, inelegibilidade, ou adiar a decisão.

Na véspera do início do julgamento, Jair Bolsonaro apelou ao juiz do TSE Benedito Gonçalves, relator do julgamento e primeiro a votar no processo, para mudar o seu voto.

“Tenho a certeza que até o Benedito, ministro do STJ [Superior Tribunal de Justiça], agora integrante como relator do TSE, vai mudar o seu voto. Senhor Benedito, é questão de coerência”, afirmou Jair Bolsonaro aos jornalistas.

Em relação à possibilidade de se tornar inelegível, Bolsonaro afirmou que “não gostaria de perder” os seus direitos políticos.

Sugerir correcção
Ler 1 comentários