Contratação de conservadores-restauradores, miragem ou realidade?

A falta de meios para o acompanhamento do património cultural e a fiscalização de obras de conservação e restauro é notória.

No dia 9 de Novembro de 2022, numa audição parlamentar sobre o Orçamento do Estado para 2023, o ministro da Cultura, Pedro Adão e Silva, anunciou a intenção de abrir concursos para a contratação de 40 conservadores-restauradores para reforçar o quadro de pessoal da Direcção-Geral do Património Cultural (DGPC). A informação disponível é escassa, mas sabemos que 20 vagas serão destinadas ao Laboratório José de Figueiredo (LJF) e outras vinte 20 aos museus, palácios e monumentos dependentes da DGPC. Destas, duas serão para o Museu Nacional de Arte Antiga, duas para o Museu Nacional Soares dos Reis, duas para o Museu Monográfico de Conímbriga e uma para o Museu Nacional de Machado de Castro.

Sugerir correcção
Comentar