Estas fotografias são como cartas de amor à vida selvagem em risco de extinção

A organização Vital Impacts, da fotógrafa da National Geographic Ami Vitale, recusa-se a cruzar os braços diante do perigo iminente de extinção de milhares de espécies em todo o mundo. A fotografia pode marcar a diferença?

"Dois orangotangos órfãos brincam no centro de reabilitação em Bornéu. À semelhança dos humanos, eles precisam do cuidado e atenção da mãe para se tornarem adultos saudáveis. Os orangotangos vivem nas ilhas de Bornéu e Sumatra, e os bebés são vítimas da captura por caçadores furtivos, que os vendem como animais de estimação. Os caçadores matam as mães para chegarem ás crias. É preciso proteger as florestas onde vivem para garantir que estes animais sobrevivam muito mais anos." ©FRANS LANTING
Fotogaleria
"Dois orangotangos órfãos brincam no centro de reabilitação em Bornéu. À semelhança dos humanos, eles precisam do cuidado e atenção da mãe para se tornarem adultos saudáveis. Os orangotangos vivem nas ilhas de Bornéu e Sumatra, e os bebés são vítimas da captura por caçadores furtivos, que os vendem como animais de estimação. Os caçadores matam as mães para chegarem ás crias. É preciso proteger as florestas onde vivem para garantir que estes animais sobrevivam muito mais anos." ©FRANS LANTING

São muitos os animais em risco de extinção que figuram nas fotografias seleccionadas pela fotógrafa Ami Vitale e pela jornalista multimédia Eileen Mignoni para a edição de Inverno da venda online da Vital Impacts: ursos polares, rinocerontes, orangotangos continuam a batalhar, em conjunto com organizações dedicadas à sua conservação, pela manutenção da sua espécie. Mais de 100 fotografias, da autoria de fotógrafos como Steve McCurry, Evgenia Arbugaeva, Nick Brandt, Britta Jaschinski, Tamara Dean, Steve Winter, Jim Naughten, ​entre muitos outros, podem ser adquiridas em prol dessa causa. 

A venda das fotografias tem como objectivo a colecta de fundos para doação a organizações de protecção e conservação da vida selvagem — 60% tem como destino a organização Jane Goodall's Roots and Shoots e o programa de bolsas e mentorias da Vital Impacts. "Criámos um programa de bolsas e mentorias no âmbito do storytelling destinado a 40 conservacionistas indígenas quenianos que trabalhem no sector da protecção da vida selvagem e dos habitats em perigo do norte do Quénia", pode ler-se no site da organização. "Trabalhamos com artistas reconhecidos, mas também temos um compromisso para com o talento emergente."