Agonia de Twitter e Facebook abre porta às redes sociais descentralizadas

Há uma constelação de redes sociais a ganhar popularidade com modelos alternativos às que dominam hoje em dia. São abertas, não têm dono, deixam o poder nas periferias. Serão o que precisamos?

Foto
A Mastodon é uma das muitas redes sociais descentralizadas, algumas com tecnologia blockchain, que estão a ser encaradas como alternativa às redes sociais actualmente dominantes Jonathan Raa/NurPhoto via Getty Images

É difícil imaginar um mundo sem Facebook, sem Twitter, sem Instagram ou LinkedIn, sem todas essas redes sociais actualmente dominantes. Mas os tempos não correm de feição a algumas delas, e há quem questione se estão a morrer, porque a crise coincide com a popularidade crescente de outras redes sociais que, parecendo semelhantes, se diferenciam em dois pontos fundamentais: foram criadas em código aberto; e funcionam em servidores (ou redes de servidores) independentes. As chamadas redes descentralizadas estão entre nós há alguns anos. Mas estão a ter mais atenção agora.

Sugerir correcção
Ler 9 comentários