Congresso espanhol vota fim do crime de sedição com apoio de independentistas e críticas da direita

A reforma do Código Penal espanhola foi proposta pelo Governo em acordo com a Esquerda Republicana da Catalunha, mas com oposição acirrada do PP, Vox e do centro-direita independentista catalão.

Foto
Carles Puigdemont e outros membros do governo catalão depois da declaração de independência da Catalunha em 2017 GONZALO FUENTES/Reuters

Para tentar curar as feridas que deixou o referendo catalão de 2017, vai a votos esta quinta-feira um projecto de lei apresentado no dia 11 que propõe revogar o crime de sedição, do qual estão acusados os independentistas foragidos da justiça espanhola, como o ex-presidente do governo regional catalão (Generalitat) Carles Puigdemont. A proposta, apresentada pelo PSOE e pelo Unidas Podemos, deverá ser aprovada com o apoio da Esquerda Republicana da Catalunha (ERC), do Partido Nacionalista Basco e do EH Bildu, partido da esquerda nacionalista basca.

Sugerir correcção
Comentar