Os jovens e os vinhos pedidos: simples, com pouca intervenção e um design apelativo

Vinho em lata, no Instagram, vinho cool e até vinho que não é bem vinho. Os jovens querem vinhos simples — antes de provarem os complexos. Eles hão-de lá chegar. Sábado há Fugas Especial Vinhos.

Foto
“O nosso gosto vai evoluindo. É uma questão de prazer" Alina Rosanova

Que os miúdos bebem um bocado de tudo, e que normalmente esse tudo são bebidas mais baratas, já todos nós sabemos. E também que o consumo de vinho — antes associado a ambientes requintados e a momentos especiais e quase exclusivos a pessoas mais velhas e com paladares mais experientes — está espalhado pelo Instagram da geração Z, tecnicamente os nascidos entre 1995 e 2009, hoje boa parte nos seus 20 e poucos anos. Os produtores reflectem sobre o que produzir de forma a atender estes novos consumidores? Hoje em dia, investe-se na qualidade ou simplifica-se o produto, atingindo-se um preço justo para a cadeia de produção e para os bolsos menos recheados? Uma certeza: resolva-se esta equação e os jovens, sempre on e sempre a partilhar/publicitar nas redes as coisas de que mais gostam, representarão óptimas oportunidades de negócio.

Sugerir correcção
Comentar