Máscaras no Porto/Post/Doc, ou o movimento das coisas

O festival portuense mostrou, em cópia nova, o belíssimo documentário de Noémia Delgado sobre as tradições transmontanas.

Foto
Máscaras (1976), de Noémia Delgado DR

Não se pode dizer que Máscaras (1976), de Noémia Delgado, seja um filme efectivamente “perdido” do cinema português, apesar de nunca ter tido verdadeiramente exibição comercial em sala e de se ter limitado a sessões especiais; prova disso é a sua inclusão no Plano Nacional de Cinema (PNC), e os elogios de que tem sido alvo ao longo das décadas por parte de cinéfilos e estudiosos. Mas não deixa de ser um filme de certo modo “esquecido” ou pouco visto, pelas suas características documentais e especificamente antropológicas/etnográficas. Este documentário sobre as tradições populares das mascaradas na região transmontana, filmado logo após o 25 de Abril, ancora-se num rigoroso trabalho antropológico de Ernesto Veiga de Oliveira e Benjamim Pereira (igualmente autores do texto) e na tentativa de usar o cinema para o registar como documento de consulta futura.

Sugerir correcção
Comentar