Miguel Alves acusado de falsear regras da contratação para beneficiar empresária

Ex-presidente da câmara de Caminha que se demitiu esta quinta-feira do Governo foi acusado de prevaricação, o mesmo crime imputado a uma empresária que foi mulher de um histórico autarca socialista

Foto
Miguel Alves renunciou ao cargo de presidente da câmara de Caminha em Setembro passado MANUEL A./LUSA

O ex-presidente da Câmara de Caminha, Miguel Alves, que era até esta quinta-feira secretário de Estado Adjunto do primeiro-ministro, foi acusado pelo Ministério Público (MP) de um crime de prevaricação, por alegadamente ter ficcionado vários elementos de dois contratos de prestação de serviços de apoio à comunicação social que terão beneficiado uma empresária, que também está acusada do mesmo crime.

Sugerir correcção
Ler 1 comentários