Luciano Vassallo: ninguém o queria, a não ser o futebol

A história do capitão da selecção da Etiópia que venceu a CAN em 1962. Teve uma vida longa de discriminação, mas também de superação e talento.

Foto
Vassallo redebe a taça de campeão africano de Haile Selassié DR

A Etiópia tem o seu lugar bem vincado no desporto mundial. Todas as 55 medalhas conquistadas por atletas etíopes em Jogos Olímpicos foram no atletismo e a correr todas as distâncias entre os 1500m e a maratona. Abebe Bikila, o bicampeão da maratona que correu descalço em Roma 1960, Tirunesh Dibaba, tricampeã olímpica e pentacampeã mundial, Haile Gebrselaisse, imbatível nos 10.000m durante uma década, todos figuras maiores do Olimpo. Mas a Etiópia não foge à regra de quase todos os seus colegas de planeta. Não é o atletismo que domina as preferências populares, é o futebol. E tem uma grande história para contar, a de Luciano Vassallo, o capitão da selecção etíope que conquistou a Taça das Nações Africanas (CAN) em 1962.

Sugerir correcção
Ler 1 comentários