Bandidos e bandalhos

Não consigo entender bem a necessidade de ir a correr alterar a lei de cada vez que aparece um caso qualquer polémico.

Já não me lembro onde ouvi pela primeira o trocadilho da diferença entre ser bandido e bandalho: o bandido age contra a lei; o bandalho age contra a ética dentro da lei. Quando é apanhado, a primeira desculpa a que o bandalho recorre para disfarçar a desonra é vangloriar-se de não ser bandido. A ética é a lei, a lei foi cumprida, se está mal, mude-se a lei. O contrário também acontece. O bandido ser apanhado e desculpar-se que não é um bandalho qualquer. Violou a lei, sim, mas sem malícia, porque a lei é que é imoral e está errada. É bom de ver que, no final, não há grande diferença entre bandidos e bandalhos. O problema está sempre na lei, que para uns é demasiado severa e para outros demasiado permissiva; nunca está no desvalor intrínseco do que se fez ou deixou de fazer.

Sugerir correcção
Ler 7 comentários