A pandemia “naturalizou” a morte em Manaus

A capital do Amazonas foi um dos epicentros mais dramáticos da crise sanitária que se abateu sobre o Brasil nos últimos dois anos. Numa região com poucos recursos e muito vasta, e em que as autoridades locais acompanharam o negacionismo de Bolsonaro, o vírus circulou sem restrições.

Foto
No drama causado pela pandemia no Brasil, Manaus e o estado do Amazonas foram particularmente atingidos REUTERS/Bruno Kelly

Quando Lucynier Omena nos vem receber à entrada do seu prédio, em Manaus, aponta para várias varandas nos edifícios à volta onde se vêem bandeiras do Brasil, símbolo que foi sendo apropriado pelos apoiantes do actual Presidente, Jair Bolsonaro. Em seguida aponta para a varanda da sua própria casa. Também ali está uma bandeira, mas com uma cinta de tecido negro por cima e, ao lado, uma faixa onde se lê “Justiça pelo Tiago”.

Sugerir correcção
Ler 23 comentários