O que fazer, e não fazer, quando um filho não quer ir à escola

“É o confronto com o medo, é a persistência na presença de angústia” que constitui o melhor tratamento para a recusa escolar. A evasão, e não a ansiedade, é o verdadeiro inimigo.

Foto
Em Julho, o Departamento de Educação norte-americano relatou que 72% das escolas públicas assistiram a um aumento no absentismo crónico DR/Ivan Aleksic via Unsplash

Quando a filha de Aubrey Garcia estava no 3.º ano do ensino básico, parou subitamente de frequentar a escola. Todos os dias, Aubrey, uma ex-professora, perguntava-se: “Será que ela vai hoje à escola? O que posso fazer para que queira ir à escola?” E desabafa: “Era uma batalha constante.”

Sugerir correcção
Comentar