Na Granja Portugal, a fome mata-se mas a pobreza persiste

A fome voltou a ser um flagelo para os brasileiros mais pobres. Num dos bairros mais desfavorecidos de Fortaleza, pequenas iniciativas tentam mitigar as situações mais urgentes. Apesar de serem um grupo cobiçado pelas campanhas eleitorais, quem não tem o que comer não tem muita fé em mudanças através da política.

Foto
O aumento da fome e o agravamento das desigualdades têm sido um tema incontornável na campanha eleitoral Pedro Vilela/Getty Images

Quatro mulheres seguram duas panelas como quem mostra um troféu. Numa está o resto de uma macarronada, uma mistura substancial de massa e bocados de salsicha com queijo derretido; na outra está o resto de uma sopa de ossada, na qual é possível ver o pedaço de osso que lhe dá o nome. Acabaram de servir refeições que vão saciar momentaneamente a fome de 150 famílias de um dos bairros mais pobres na periferia de Fortaleza.

Sugerir correcção
Ler 1 comentários