Pagar 300 euros por uma despensa ou ficar sem casa: a realidade do alojamento estudantil em Portugal

Vêem os empréstimos para estudar serem recusados, esperam pela bolsa para não desistirem do curso e chegam a ser enganados pelos senhorios, que lhes atribuem despensas como quartos. Entre a elevada procura e a pouca oferta, os universitários vão-se sujeitando: “Os preços estão exageradamente caros”, lamentam.

SORAIA OLIVEIRA ESTUDANTE UNIVERSITARIA
Fotogaleria
Soraia Oliveira teria desistido do curso se não tivesse bolsa ADRIANO MIRANDA / PUBLICO
JOAO JESUS ESTUDANTE UNIVERSITARIO
Fotogaleria
João Jesus ADRIANO MIRANDA / PUBLICO

João Jesus, natural de Ribeira de Pena, entrou no ensino superior no ano passado e ficou colocado onde queria: curso de Ciências da Comunicação na Faculdade de Letras da Universidade do Porto (FLUP). Apesar da felicidade inicial, o facto de ter mais dois irmãos gémeos (um deles também na universidade) fê-lo questionar se suportar todas as despesas não seria demasiado esforço para os pais. Mesmo com um part-time no Verão e os 50 euros de gorjetas que consegue em dois meses, sabia que o que ganhava não chegava para ajudar.

Sugerir correcção
Ler 53 comentários