Bruxelas define cortes obrigatórios no consumo para enfrentar “Inverno muito difícil”

Comissão Europeia atira para os governos decisões impopulares para o corte do consumo de electricidade, que passa por uma redução de 5% da procura nas horas de ponta. Bruxelas definiu ainda tectos aos proveitos das renováveis, mas também fixou taxa sobre as empresas de combustíveis fósseis.

Foto
Ursula sublinhou a "ansiedade" que a crise energética está a provocar nas famílias europeias. Reuters/YVES HERMAN

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, abriu a porta a um braço de ferro entre Bruxelas e os Estados-membros da União Europeia, na próxima reunião do Conselho de Energia, ao insistir no estabelecimento de metas vinculativas de redução da procura de electricidade em todos os Estados-membros como uma medida essencial e indispensável para o “sucesso” da intervenção de emergência sobre o mercado da energia.

Sugerir correcção
Ler 88 comentários