Von der Leyen sob pressão para anunciar medidas ambiciosas em resposta à crise energética

Depois da pandemia e da recessão económica, é a guerra que marca o discurso sobre o Estado da União Europeia. A presidente da Comissão vai lembrar a experiência dos últimos dois anos e argumentar que quando está unida, a UE é capaz de vencer qualquer crise.

Foto
Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia EPA/OLIVIER HOSLET

Guerra, ou Ucrânia, ou energia, ou Rússia… Se fosse preciso adivinhar a palavra-chave do terceiro discurso sobre o Estado da União Europeia que Ursula von der Leyen fará, esta quarta-feira, no hemiciclo do Parlamento Europeu, todas estas seriam boas hipóteses. Mas como nos exercícios anteriores, e desde que iniciou o seu mandato, “crise” é o substantivo inevitável para resumir o cenário com que a presidente da Comissão Europeia se vê confrontada no arranque de um novo ciclo político. Talvez mesmo Crise, com maiúscula.

Sugerir correcção
Comentar