Frota de reserva da UE nem sempre conseguiu ajudar no combate aos fogos

Ministro da Administração Interna vai participar esta segunda-feira numa reunião que decorre em Bruxelas e vai avaliar a possibilidade de reforçar a frota de 12 aviões e um helicóptero pesado já no próximo ano.

Foto
Dois Canadair espanhóis estiveram a ajudar a combater o incêndio de Ourém. LUSA/PAULO CUNHA

A frota de meios aéreos de combate a incêndios que existe na reserva europeia de protecção civil (rescEU), composta este ano por 12 aviões e um helicóptero, não conseguiu dar resposta a muitos dos pedidos de ajuda que foram feitos pelos diversos países através no Mecanismo Europeu de Protecção Civil (MEPC).

Sugerir correcção
Ler 1 comentários