Um grupo de artistas saltou para uma antiga piscina do Porto — e encheu-a de dança e festa

Quatro mulheres artistas independentes atiraram-se de cabeça e abriram um espaço para profissionais das artes (mas não só), onde antes se nadava, bem no centro do Porto, na Rua de Santa Catarina. A Piscina inaugura-se no sábado, com dança, teatro e festa (sem sapatos).

#TBL - Eduarda Alves, 25, Maria Ines Silva, 29, e Lia Siebrecht, 24, da esquerda para a direita - Projecto Piscina - Antiga piscina na Rua de Santa Catarina - Porto 1 de Setembro 2022 - Tiago Lopes
Fotogaleria
A Piscina é o novo espaço cultural e artístico do Porto, na Rua de Santa Catarina Tiago Lopes
#TBL - Projecto Piscina - Antiga piscina na Rua de Santa Catarina - Porto 1 de Setembro 2022 - Tiago Lopes
Fotogaleria
A Piscina é o novo espaço cultural e artístico do Porto, na Rua de Santa Catarina Tiago Lopes
#TBL - Projecto Piscina - Antiga piscina na Rua de Santa Catarina - Porto 1 de Setembro 2022 - Tiago Lopes
Fotogaleria
A Piscina é o novo espaço cultural e artístico do Porto, na Rua de Santa Catarina Tiago Lopes
#TBL - Projecto Piscina - Antiga piscina na Rua de Santa Catarina - Porto 1 de Setembro 2022 - Tiago Lopes
Fotogaleria
A Piscina é o novo espaço cultural e artístico do Porto, na Rua de Santa Catarina Tiago Lopes
#TBL - Projecto Piscina - Antiga piscina na Rua de Santa Catarina - Porto 1 de Setembro 2022 - Tiago Lopes
Fotogaleria
A Piscina é o novo espaço cultural e artístico do Porto, na Rua de Santa Catarina Tiago Lopes

Já se pode dançar e correr sem medo de escorregar na piscina pública mais antiga do Porto, que agora tem o fundo coberto de linóleo. Podem atirar-se à vontade, mas sem sapatos — só salpicam os corpos em estado bem sólido, cobertos de suor.

“Nós, jovens artistas, com vidas e orçamentos precários, conseguimos recuperar com as nossas mãos um espaço que era frequentado pela high society e agora é nosso e está bem no centro da cidade”, apresenta-o Maria Inês Silva, criadora, intérprete e professora de dança criativa e contemporânea de 29 anos.

Ao mesmo tempo que a “loucura das rendas” a arrastava para as margens, amigos que conheciam as instalações centenárias do Sport Club do Porto falaram-lhe da antiga piscina no prédio n.º 132 na Rua de Santa Catarina, uma das principais artérias comerciais da Baixa. Não hesitaram e fizeram uma proposta para explorar o espaço. Era a mistura de tentativa-erro, segurança e comunidade que procurava. Uma piscina “não tem o peso de um teatro”, diz. “Aqui não somos um artista fechado. Podemos abrir portas.”

Mercedes Quijada ensaia a performance A Besta, na Piscina Tiago Lopes
Fotogaleria
Tiago Lopes

Por isso é que a inauguração da PiSCiNA - Associação Cultural, este sábado, 3 de Setembro, dá as boas-vindas “à Baixa”, pelas mãos teimosas de Maria Inês Silva, a actriz e encenadora Eduarda Alves, Lea Siebrecht, criadora e bailarina contemporânea, e Carolina Varela, também bailarina, a única residente em Lisboa. “Quando entrei aqui, liguei-lhes e disse: Vi o futuro à minha frente”, ri-se a primeira, entre o cringe e o vitorioso.

Há muito que a piscina do clube fundado em 1904, antes ao ar livre, estava vazia e coberta, por isso as amigas só tiveram de limpar os azulejos, reforçar o azul e os pormenores de amarelo e alinhar os espelhos.

Deixaram pendurados os sacos de boxe, apontam, “uma homenagem” à última das vidas do espaço a paredes-meias com um ginásio old school (no piso de cima também há um inesperado bar de proteínas). E desenharam uma programação para um espaço não convencional — “irrepetível”, acrescenta Lea —, aberto à comunidade profissional e não profissional.

No estúdio, vão dar aulas de ballet e teatro a crianças e terão um horário pós-laboral de dança contemporânea, movimento e improvisação para jovens adultos. Aos sábados de manhã, há aulas Chamá Pelvis, que ensinam a libertar justamente o que o nome indica. O próximo workshop fica a cargo de Rui Paixão, actor e palhaço português do Cirque du Soleil.

Foto
Foto

O Creation Point, uma espécie de coworking para artistas, onde podem trocar contactos e utilizar o espaço para desenvolver “ideias ainda embrionárias”, deverá acontecer uma vez por mês. As sessões mensais de improvisação guiada Descarga Jam, criadas por Rina Marques, passam a ter pouso na Piscina, para pessoas de várias práticas artísticas se encontrarem e criarem em conjunto. Toda a programação é anunciada no Instagram.

Entretanto, estão no processo de selecção dos primeiros espectáculos, formações e eventos que terão a Piscina como palco e sala de ensaios, uma chamada aberta que direccionam trimestralmente a artistas emergentes, ainda sem financiamento.

“Queremos pedir apoios para programação, para comprar espectáculos”, diz Maria Inês.

Mergulharam de cabeça, depois de emergirem de uma incubadora de dois anos. Foi durante a semana em que esteve isolada com covid-19, confinada ao quarto e obrigada a parar, que a artista e professora teve tempo e espaço mental para começar a procurar espaços.

Foto
Fotografia de arquivo Sport Clube do Porto

Não pretendem romantizar um período difícil para tantos artistas independentes, mas foi a pandemia que as empurrou da berma e as “instigou a ter um espaço próprio, a não ter de estar dependentes de ninguém”, comenta. “Deu-nos força para abraçar uma oportunidade que se calhar não era tão literal. É quase um manifesto pós-pandemia, nós estamos mesmo esfomeados depois destes anos difíceis e estamos a precisar de fazer coisas. Se numa piscina nós podemos construir um estúdio, nós vamos.” Com splash para todos.

Sugerir correcção
Ler 1 comentários