Debandada de autarcas: Chega “por fora é uma coisa, por dentro é outra”

Em dez meses, o partido já perdeu cinco vereadores e arrisca perder um sexto. Muitos outros autarcas passaram a independentes ou desistiram. Há queixas de falta de democracia interna.

Foto
Em dez meses o Chega pode ter perdido 50 autarcas eleitos LUSA/HUGO DELGADO

A demissão de uma das figuras mais relevantes do Chega, Gabriel Mithá Ribeiro, é só mais um episódio da instabilidade interna em que o partido vive permanentemente e que é também visível no seu universo autárquico. Em dez meses, dos 19 vereadores eleitos, cinco já se tornaram independentes e há um sexto em risco de seguir o mesmo caminho. Outros autarcas, muitos no distrito de Lisboa e Setúbal, desistiram de exercer funções em nome do Chega. Há até quem tenha renunciado antes de tomar posse. O Chega “por fora é uma coisa, por dentro é outra”, comenta ao PÚBLICO um dos vereadores que passou a independente.

Sugerir correcção
Ler 73 comentários