A morte chega como um relógio numa aldeia habitada pelo medo

Alguém anda a matar idosos em Zingqolweni. Num país como a África do Sul, habituado à violência e à morte, a polícia nunca tinha visto uma coisa assim.

Foto
Uma mulher na zona rural da província de Cabo Oriental jbdodane/Flickr

Com a regularidade de um relógio, morre-se em Zingqolweni. Situada num canto remoto da província sul-africana de Cabo Oriental, os seus 1375 habitantes vivem com medo de que podem ser os próximos a juntar-se à longa lista de assassínios que se vai preenchendo mensalmente há mais de um ano.

Sugerir correcção
Comentar