Diocese de Setúbal nega “ocultação” de abusos sexuais. Investigação na Igreja durou sete anos e padre foi ilibado

Bispo emérito terá recebido queixas sobre alegados abusos sexuais de padre, mas ocultado informações das autoridades. Diocese diz que caso foi investigado durante sete anos e sacerdote ilibado. Já o bispo da Guarda diz ter sido informado pela Judiciária “do facto que desconhecia”. “Por isso não podia ocultá-lo como não podia comunicá-lo”

Foto
Diocese reagiu esta sexta-feira às notícias

A diocese de Setúbal reagiu, esta sexta-feira em comunicado, à notícia de que o bispo emérito Gilberto Reis terá tido conhecimento de queixas de abusos sexuais perpetrados por um sacerdote, mas escolhido ocultar o caso da Polícia Judiciária e Ministério Público. Esta entidade diz que as suspeitas foram investigadas e que, no final de uma averiguação que se prolongou durante sete anos, o sacerdote em causa foi ilibado.

Sugerir correcção
Ler 3 comentários