O Brasil não é realmente o país do futuro

O Brasil não festeja os 200 anos da Independência porque não há nada a celebrar. O historiador e cientista político José Murilo de Carvalho reflecte sobre as causas de um país descrente, armadilhado pela desigualdade e pelas contradições que o “bolsonarismo” acentuou.

Foto
Historiador José Murilo de Carvalho Nelson Garrido

Cientista político, historiador consagrado com passagem por universidades americanas e europeias, José Murilo de Carvalho (Minas Gerais, 1939) recebeu o PÚBLICO na sede da Academia Brasileira das Letras, no centro do Rio de Janeiro, para uma entrevista marcada pelo desencanto com o estado do país. “Talvez seja da idade”, diz algures no meio de uma conversa de duas horas onde expôs com lucidez causas e consequências de um Brasil permanentemente adiado.

Sugerir correcção
Ler 36 comentários