Carta aberta: as armadilhas coloniais do caso Filha da Tuga

Há um desafio que se coloca aos meios de produção cultural, sejam artísticos, jornalísticos ou outros, que é a descolonização das suas práticas e imaginários.

As recentes críticas à música Filha da Tuga, interpretada por Irma Ribeiro (escrita por Carolina Deslandes e produzida por Agir e Sons em Trânsito), bem como à performance de Rita Pereira, geraram um debate público – protagonizado essencialmente por pessoas negras – que a comunicação social e a branquitude se apressaram a despolitizar e a ridicularizar, mostrando como a experiência negra tende a ser desprezada e negada na sociedade portuguesa.

Sugerir correcção
Ler 17 comentários