China insiste que o seu exército “não vai ficar sentado de braços cruzados” se Pelosi visitar Taiwan

Presidente da Câmara dos Representantes iniciou, em Singapura, um périplo pelo continente asiático e existe a possibilidade de passar pela ilha. Primeiro-ministro singapurense sublinhou “importância de relações estáveis” entre os EUA e a China para “a paz e a segurança regionais”.

Foto
Nancy Pelosi (presidente da Câmara dos Representantes dos EUA) e Lee Hsien Loong (primeiro-ministro de Singapura) SINGAPORE MCI HANDOUT/EPA

O Governo da República Popular da China lançou esta segunda-feira um novo aviso aos Estados Unidos, garantindo que o Exército de Libertação Popular não vai ficar “sentado de braços cruzados” num cenário de visita da presidente da Câmara dos Representantes do Congresso norte-americano a Taiwan, a ilha que disputa a sua soberania com Pequim e cujo território é considerado pelo Partido Comunista (PCC) como parte indivisível do território chinês.

Sugerir correcção
Ler 13 comentários