Fotografia

O surfskate conquistou as mulheres de Pequim

A Reuters foi até Pequim, na China, compreender o boom do surfskating entre as mulheres. “Estou a aproximar-me dos 30 anos, mas sinto-me muito jovem de repente", conta Chen Yanni, de 29 anos. "Adoro sentir-me assim. É como voltar à adolescência.”

REUTERS/Tingshu Wang
Fotogaleria
REUTERS/Tingshu Wang

Na China, ao longo do ano de 2022, as pesquisas online por skateboarding e surfskating dispararam – em Junho deste ano são mesmo 50 vezes superiores ao período homólogo de 2021. As vendas de surfskateboards também aumentaram 80%. Mas a que se deve esta tendência? À pandemia e aos confinamentos, atribui a agência Reuters, que visitou Pequim em busca de praticantes da modalidade.

“Sentes-te tão livre [quando fazes surfskating]”, disse Chen Yanni, de 29 anos, à agência noticiosa. Chen contou ter visto imagens da modalidade no seu feed das redes sociais durante a pandemia e admite ter ficado imediatamente rendida. “Estou a aproximar-me dos 30 anos, mas sinto-me muito jovem de repente. Adoro sentir-me assim. É como voltar à adolescência.”

Mas o que é surfskating? A principal diferença reside no skate em si, no conjunto de rodas frontais, que são mais flexíveis e permitem maior controlo e amplitude de movimentos, o que se revela ideal em cenário urbano.

Zhao, de 40 anos, que adora praticar ski, apaixonou-se imediatamente assim que experimentou pela primeira vez. “Acho que para o meu trabalho, para a minha vida, em geral, o skate está a ter um efeito positivo”, contou à Reuters. Graças à prática regular, Zhao passa mais tempo ao ar livre, perdeu peso, diz sentir-se menos ansiosa, mais ousada e mais realizada; usa roupas mais coloridas do que antes, pintou o cabelo num tom mais claro pela primeira vez.

Yoyo, de 34 anos, começou a praticar surfskating quando as restrições pandémicas a impediram de realizar a sua viagem de Verão. Quando pratica skate, Yoyo, que é surfista, sente que regressa à praia. “No Verão está calor e quando sinto o vento no meu cabelo sinto-me livre.”

A cadeia de lojas Burning Ice, especializada em skating, em Pequim, garante ter triplicado a facturação em 2022. O aumento, esclarece um dos gerentes de loja que escolheu não se identificar, deve-se a um aumento de 50% nas vendas de surfskateboards. As mulheres compõem 70% do seu público.

REUTERS/Tingshu Wang