Ivo Rosa quis destruir e-mails de Eduardo Cabrita e secretário de Estado no caso das golas antifogo

Juiz Carlos Alexandre reverteu decisão do colega. Ivo Rosa investigado por divulgar junto dos arguidos dados que se encontravam em segredo de justiça.

Foto
Em causa estavam e-mails apreendidos ao ex-ministro da Administração Interna EPA/ANTONIO COTRIM

O juiz de instrução criminal Ivo Rosa mandou destruir, no final de 2021, mensagens de correio electrónico e outras comunicações entre suspeitos do caso das golas antifogo apreendidas pela Polícia Judiciária, incluindo do ex-ministro da Administração Interna Eduardo Cabrita, do seu secretário de Estado da Protecção Civil Artur Neves e do presidente da Autoridade Nacional de Emergência e Protecção Civil, o general Mourato Nunes. E se contra o primeiro não foram encontrados indícios da prática de crimes, já os dois últimos foram acusados na semana passada de fraude na obtenção de subsídio, participação económica em negócio e ainda, no caso do militar, de abuso de poder.

Sugerir correcção
Ler 43 comentários