As muralhas da cidade

Na sua concepção, o direito à cidade é muito mais do que o direito geral de acesso aos espaços e serviços urbanos, a sua reivindicação não é meramente jurídica, mas remete para a legitimidade de uma economia política susceptível e convoca a visão de um desenvolvimento urbano justo.

Chegam-nos de muito lado as notícias de que ter casa própria se tornou uma impossibilidade para a grande maioria dos jovens. Este assunto ganhou uma enorme amplitude pública em muitos países e é motivo para uma discussão sobre as terríveis consequências — não apenas sociais — que daí advêm. A questão do “direito à cidade” começa a perder relevância face a um direito mais urgente: o direito à habitação.

Sugerir correcção
Comentar