A Idade de Ouro no Louvre: a arte portuguesa regressa ao centro da Europa

O museu parisiense inaugura esta sexta-feira a sua primeira exposição alguma vez dedicada à pintura feita em Portugal. Uma selecção densa (e brilhante) de 15 obras dos séculos XV-XVI, que mostra que a produção nacional ombreava com a dos mestres europeus da época.

Foto
Este Inferno de autor anónimo: uma experiência visual inédita na história da pintura portuguesa DIRECÇÃO-GERAL DO PATRIMÓNIO CULTURAL/ADF/LUÍSA OLIVEIRA/JOSÉ PAULO RUAS

A pintura portuguesa chegou finalmente ao Museu do Louvre. Até agora, apenas escassas três obras – de Baltazar Gomes Figueira (1604-1674), da sua filha Josefa de Óbidos (1620-1684) e de Domingos Sequeira (1768-1837) – se podiam ver, de forma indiferenciada, por entre os mestres da pintura espanhola, na galeria respectiva. A partir desta sexta-feira, e até 10 de Outubro, no âmbito da Temporada Cruzada Portugal-França, os visitantes do maior museu do mundo vão poder ver também, numa (pequena) sala própria, uma densa, mas brilhante selecção de dezena e meia de obras d’A Idade de Ouro da Renascença Portuguesa.

Sugerir correcção
Ler 9 comentários