Há um cão super-herói no Chile que combate o lixo

Sam foi transformado num símbolo de sustentabilidade e boas práticas que está a ser usado numa campanha ambiental no maior parque na capital do Chile.

lixo,cao,p3,ambiente,chile,
Fotogaleria
Só em Abril, Sam e Gonzalo recolheram 602 máscaras, 585 garrafas e 304 latas Reuters/STRINGER
lixo,cao,p3,ambiente,chile,
Fotogaleria
Catalina Aravena transformou Sam num desenho animado Reuters/STRINGER
lixo,cao,p3,ambiente,chile,
Fotogaleria
Só em Abril, Sam e Gonzalo recolheram 602 máscaras, 585 garrafas e 304 latas Reuters/STRINGER

Sam, um super-herói de quatro patas, esforça-se por manter um parque na capital do Chile limpo e sustentável. Que superpoder tem este cão? Serve de modelo aos visitantes do parque por causa da forma exemplar como recolhe lixo.

Este Border Collie, que faz caminhadas regulares no parque metropolitano de Santiago com o seu dono, tornou-se famoso ao aparecer com a sua capa verde numa ilustração que está a ser usada como guia educativo.

Tudo começou quando Sam e o dono, Gonzalo Chiang, se viram obrigados a parar uma e outra vez nesta que é a maior área verde da cidade para recolher garrafas de plástico, máscaras, latas e embalagens de comida. “Começámos a encontrar muito lixo nas caminhadas com o Sam”, explicou Chiang numa entrevista. “A partir daí, surgiu a necessidade de virmos preparados para levar o lixo que encontrávamos em cada visita”.

Só em Abril, Sam e Gonzalo recolheram 602 máscaras, 585 garrafas e 304 latas, além de roupas, capacetes e embalagens alimentares. “O passeio é uma boa oportunidade para limpar em vez de sujar”, sublinha Chiang.

Os funcionários do parque ficaram de tal forma impressionados com Sam que decidiram usar a sua imagem na campanha de protecção do parque. O animal visita esta atracção turística, no mínimo, três vezes por semana.

Catalina Aravena transformou então este Border Collie de cinco anos e meio num desenho animado, que designou de “Sam: O Super-herói de Parquemet”, passando a incentivar assim os visitantes a levarem os seus resíduos com eles ou utilizarem um dos mais de 40 pontos de reciclagem espalhados pelo parque.

“Isto propagou-se muito mais do que se esperava”, admitiu Aravena. “Chegou a várias escolas e tem sido difundido bastante bem nas redes sociais”.

O parque – que alberga um jardim zoológico, vários trilhos para caminhadas e um funicular ferroviário lançou no ano passado várias campanhas contra o lixo a apelar aos vendedores que mudassem de copos de plástico para copos de vidro, e começou a incluir contentores separados para separar o lixo.

O Sam e o Gonzalo “inspiraram-nos a acelerar este processo educativo e a estruturar a reciclagem do lixo”, realçou Eduardo Villalobos, o director interino do parque.

Sugerir correcção
Comentar