As irmãs que se reencontraram em Portugal e outras histórias de quem fugiu da guerra

Há cem dias, a Rússia invadiu a Ucrânia. Vita, Svitlana e os cinco filhos conseguiram fugir. Sasha estava em Portugal, mas voltou a Kiev para ir buscar as avós. Marina e Glip tiveram a “sorte” de sair antes de tudo começar. As três famílias deixaram quase tudo na Ucrânia. Em Portugal, estão a aprender a começar uma vida do zero sem saber se vão voltar ao seu país.

Vita Kalmutska viveu muitos anos perto de um aeroporto militar na Ucrânia, por isso, soube instantaneamente que os sons que a despertaram do sono a 24 de Fevereiro não eram de jactos, não eram de aviões, não eram de helicópteros. Eram barulhos “estranhos” que a deixaram paralisada. Alguns minutos depois, percebeu que eram bombas. Este som, que “nunca mais quer ouvir”, deu início ao período mais esgotante da vida desta ucraniana. “Tirou-me completamente o chão debaixo dos pés. Fui aos quartos das crianças. Estavam a dormir. Deviam ir para a escola naquele dia.”

Sugerir correcção
Ler 3 comentários