Interrupções voluntárias da gravidez registam a maior queda em quinze anos

Os dados são provisórios, mas confirmam já a tendência de descida que se verifica desde 2011 nas interrupções voluntárias da gravidez. Registos de 2021 dão conta da maior redução de sempre, com menos 2100 IVG.

Foto
O tempo médio de espera entre a consulta e a IVG foi de 6,22 dias Rui Gaudencio

A tendência de descida nas Interrupções Voluntárias da Gravidez (IVG) tem-se mantido desde 2011 e atingiu os valores mais baixos de sempre nos anos de pandemia (em 2020 e 2021). Os dados são revelados esta sexta-feira no Relatório de Análise Preliminar dos Registos das Interrupções da Gravidez (2018-2021), publicado pela Direcção-Geral da Saúde (DGS). Os últimos registos eram de 2018, quando se verificaram 14.336 IVG em Portugal. De acordo com os dados provisórios, em 2021 este número baixou para 11.640.

Sugerir correcção
Ler 4 comentários