Marinha vai ter navio para operar drones aéreos, subaquáticos e de superfície

Gouveia e Melo não espera ou deseja nada do Orçamento de 2023: “Faço o melhor que posso com o que o país me disponibiliza”.

Foto
Henrique Gouveia e Melo, Chefe do Estado Maior da Armada Daniel Rocha

Conta com o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) para um navio multi-propósito, um porta-aviões de drones?
O navio foi proposto por nós, é um navio multi-propósito é multidimensional, no sentido em que vai operar drones subaquáticos, drones de superfície e drones aéreos. É um navio que representa um salto tecnológico muito elevado, em que estamos a tentar atrair a indústria portuguesa e a academia portuguesa, o conhecimento português, para desenvolver, para que no futuro esses navios possam ser mais complexos, que venham a substituir as futuras fragatas e, sejam simultaneamente, uma oportunidade de negócio para a indústria nacional e para o nosso conhecimento tecnológico.

Sugerir correcção
Ler 1 comentários