Sopa de Pedra voltam aos discos em vinil transparente com Do Claro Ao Breu

As portuenses Sopa de Pedra estreiam esta segunda-feira um disco que volta a inovar: nas atmosferas, no formato, no grafismo e até na grafia das letras. Nome? Do Claro Ao Breu.

Foto
Sopa de Pedra JOÃO PÁDUA

As Sopa de Pedra estão de volta com um disco. E, mais uma vez, nada convencional. Chamaram-lhe Do Claro Ao Breu e foi impresso em vinil transparente (um LP) com uma capa transparente, sem fotos ou quaisquer outras imagens, só letras e respectiva ficha técnica. O disco, que chega esta segunda-feira às plataformas digitais e está disponível em formato físico apenas por encomenda (chegará às lojas mais tarde), resulta de uma ideia antiga que só agora se concretizou. Um dos temas já conhecerão, certamente: a Fonte. “Apresentámo-la ao vivo no projecto De Viva Voz, da Amélia Muge, em 2016”, diz ao PÚBLICO Sara Yasmine, uma das dez cantoras do grupo. “Foi aliás o tema que escolhemos para ensinar ao público, no final, depois de todas as participações, como música do canto colectivo.” Mais tarde, no concerto que deram no Capitólio, em Lisboa, mesmo antes de pandemia (em Fevereiro de 2019), a Fonte voltou a ser repetida no final, como um mantra: “Fonte pura, fonte fria/ Fluir noite e dia/ Sem desprender do chão”.

Sugerir correcção
Comentar