Eunice Muñoz (1928-2022), actriz de corpo, alma e coração

Apaixonada pela vida e pelo teatro, levou literalmente até ao fim a sua celebrada carreira, marcada por personagens que acompanharam gerações de portugueses.

obituario,teatro-nacional-d-maria-ii,televisao,teatro,cinema,culturaipsilon,
Fotogaleria
Teresa Pacheco Miranda
obituario,teatro-nacional-d-maria-ii,televisao,teatro,cinema,culturaipsilon,
Fotogaleria
Eunice Muñoz Teresa Pacheco Miranda
obituario,teatro-nacional-d-maria-ii,televisao,teatro,cinema,culturaipsilon,
Fotogaleria
Eunice Muñoz, aos 92 anos, em casa Teresa Pacheco Miranda

Acalentava o desejo de terminar a carreira no palco que a viu nascer como actriz, o Teatro Nacional D. Maria II — e viu o desejo realizado. Um marco que aconteceu a 28 de Novembro e que se desenhou como antevia: um momento de muita emoção, talvez tão forte como a que sentiu quando viu o pano a subir pela primeira vez. “Lembro-me como se fosse hoje, nunca mais esqueci — e há tanta coisa que esqueci…”, lembrava em entrevista ao PÚBLICO em 2021, no arranque da digressão de A Margem do Tempo, de Franz-Xaver Kroetz. “A enorme emoção de ver o pano a subir pela primeira vez. É uma memória que está cá tão firme. Acho que vai ser uma emoção semelhante [ver o pano a cair]. Espero que seja.”

Sugerir correcção
Ler 5 comentários